terça-feira, 24 de abril de 2018

PROJOVEM visita Paço dos Açorianos

Visita realizada pelo PROJOVEM ao Paço dos Açorianos e as exposições no dia 21 de março de 2018

Vídeo da visita: 


Imagens:
 
Foto: Joel Vargas / PMPA

Foto: Joel Vargas / PMPA

Foto: Joel Vargas / PMPA

Foto: Joel Vargas / PMPA

Foto: Joel Vargas / PMPA

Foto: Joel Vargas / PMPA

terça-feira, 27 de março de 2018

Exposições na Pinacoteca Aldo Locatelli 2018:

 O Despertar das Formas


Enquanto museu dedicado ao estudo, preservação e divulgação da história artística, a Pinacoteca Aldo Locatelli guarda exemplares representativos deste multifacetado fenômeno cultural que foi o amadurecimento da modernidade em Porto Alegre. Na exposição "O Despertar das Formas" é possível vislumbrar como os autores locais, os de outros estados e os estrangeiros que passaram pela Cidade, atualizaram o legado modernista conferindo acentos próprios, instaurando novas matrizes formais e discursos artísticos inéditos.
A capital sulina que até inícios do século XX permanecia protegida por uma murada acadêmica, pautada nos cânones da “boa arte”, depois de um longo processo de tensões entre “tempos” históricos arcaicos e modernos, passa nas décadas de 1960 e 70 a ensejar o novo e o original e a legitimá-los como signos de atualização e de desenvolvimento sócio-econômico. 



 O Tempo das Coisas - módulo 1







sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Exposição sobre o modernismo marca os 50 anos da Pinacoteca Ruben Berta



O cinquentenário da Pinacoteca Ruben Berta será assinalado com a exposição “A Ventura do Moderno”, que pretende divulgar ao público um conjunto de obras que expressam a potência criativa do modernismo, que marcou as mudanças na sociedade industrial em especial na primeira metade do século XX. A mostra promove o acervo da Pinacoteca e destaca a força da arte modernista como conceito gerador desta importante coleção.
Quem assina a curadoria é Regina Teixeira de Barros, historiadora da arte, curadora independente, especializada em arte moderna e doutoranda da USP. A exibição, a ser inaugurada em 13 de dezembro, apresentará mais de trinta obras da Pinacoteca, assinadas por artistas como Portinari, Di Cavalcanti, Flávio de Carvalho, Lasar Segall, Joaquim Lopes Figueira, Carlos Bastos e Carybé, além de nomes fundamentais no cenário rio-grandense, como Angelo Guido, Xico Stockinger e Glênio Bianchetti.
Durante a mesma será produzido um catálogo virtual contendo audiodescrições das obras, além de serem oferecidas visitas-guiadas em Libras ao público interessado. A partir de março serão promovidas ações educativas nas escolas públicas de Porto Alegre, buscando atender preferencialmente as localizadas nas regiões periféricas. A proposta contemplará oficinas para instrumentalizar e sensibilizar educadores e estudantes por meio de material pedagógico contendo informações sobre a experiência de visita à exposição. Também será realizada uma palestra sobre o modernismo no Brasil.

A exposição é patrocinada pela Companhia Zaffari, via Lei Estadual de Incentivo a Cultura, com apoio da Maison Forestier. A realização é da Secretaria Municipal da Cultura e Associação de Amigos das Pinacotecas de Porto Alegre.

Angelo Guido. Ribeirinha. 1948. Óleo sobre tela. 40,0 x 50,5 cm

Guma - Brandão. 1971. Entalhe. 175,5 x 46,0 x 50,0 cm

Artistas participantes

Agostinho Batista de Freitas (Campinas, 1927 – São Paulo, 1997),  Aldemir Martins (Aurora, CE, 1922 - São Paulo, 2006), Alice Soares (Uruguaiana, 1917 - Porto Alegre, 2005), Angelo Guido(Itália, 1893 – Pelotas, 1969), Anna Letycia Quadros (Teresópolis, RJ, 1929), Candido Portinari (Brodowski, SP, 1903 - Rio de Janeiro, 1962), Chanina (Polônia, 1927 - Belo Horizonte, 2012), Di Cavalcanti (Rio de Janeiro, 1897 -1976), Carybé (Argentina, 1911 - Salvador, 1997), Carlos Bastos (Salvador, 1925 - 2004),  Fayga Ostrower (Polônia, 1920 - Rio de Janeiro, 2001), Flávio de Carvalho (Barra Mansa, RJ, 1899 - Valinhos, SP, 1973), Guma (Tapes, 1924 - Porto Alegre, 2008), Glênio Bianchetti (Bagé, 1928 - Brasília, 2014),   Hildegardo Leão Velloso (São Paulo, 1899 Rio de Janeiro, 1966), Jatyr Loss (Bento Gonçalves, 1919 - Porto Alegre, 1988), Jatyr Loss (Bento Gonçalves, 1919 - Porto Alegre, 1988), Joaquim Lopes Figueira (São Paulo, 1904 - Ribeirão Preto, 1943), José de Souza Estevão (Belo Horizonte, 1925 – Ouro Preto, 1977), Lasar Segall (Lituânia, 1891 — São Paulo, 1957), Manezinho Araújo (Pernambuco, 1910 – São Paulo, 1993), Marianne Peretti (França, 1927), Mario Gruber (Santos, 1927 – Cotia, 2011), Orlando Teruz (Rio de Janeiro, 1902 - 1984), Rubens Martins Albuquerque (Fortaleza, 1951), Sylvio Jaguaribe Ekman  (São Paulo, 1900 - 1978), Kazuo Wakabayashi (Japão, 1931), Zoravia Bethiol (Porto Alegre, 1935), Xico Stockinger (Áustria, 1919 - Porto Alegre, 2009).

Exposição A Ventura do moderno
Pinacoteca Ruben Berta 
R.Duque de Caxias, 973 - Centro Histórico - Porto Alegre
Visitação até 04 de maio de 2018 - segunda a sexta, das 10h às 18h

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Clássicos na Pinacoteca Ruben Berta: Recital de canto e piano



A próxima atração do projeto “Clássicos na Pinacoteca” será um recital de canto e piano. No sobrado tombado como patrimônio histórico que abriga a Pinacoteca Ruben Berta, a soprano Andiara Mumbach e o pianista Daniel Benitz irão interpretar composições de Robert Schumann e Arnold Schoenberg.

Após o convívio e imersão musical durante a edição deste ano do Festival Internacional SESC de Música, em Pelotas, Andiara e Daniel resolveram elaborar um programa dedicado à canção germânica dos séculos XIX e XX. Os compositores escolhidos foram o alemão Robert Schumann (1810-1856) e o austríaco Arnold Schoenberg (1874-1951).

RECITAL DE CANTO E PIANO

Com Andiara Mumbach (soprano) e Daniel Benitz (piano)
22 de novembro, quarta-feira, às 18h30 

PINACOTECA RUBEN BERTA
Rua Duque de Caxias, 973 - Centro Histórico - Porto Alegre
22 de novembro de 2017, quarta-feira, 18h30
ingresso: contribuição espontânea (lotação: 50 lugares)


Andiara Mumbach, foto Leonardo Kerkhoven
Daniel Benitz, foto Glenn Asakawa

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Exposição: NENHUMA DELAS ERA VERDADE, de Raquel Magalhães

Era uma vez I. óleo sobre tela, 15x20cm. 2017


No dia 23 de setembro, sábado, será inaugurada no Paço dos Açorianos exposição da artista Raquel Magalhães. O evento, que integra a programação da 11ª Primavera dos Museus, trará à público pinturas, tributárias de um legado pop e elaboradas na tradicional técnica do óleo sobre tela. O trabalho, de cunho figurativo e que parte da apropriação pictórica de imagens do cinema e da literatura, é assim expresso pela própria artista:
“Toda imagem é uma ficção, como um velho jogo de telefone sem fio. Se em algum momento seu sentido era claro e inequívoco, ao passar de mão em mão, de tela em tela e de página a página, ela progressivamente se revela um objeto enigmático. (...)
Mesmo que não se possa definir com certeza para onde estas imagens apontam, é possível, mesmo assim, operar com elas. ‘Nenhuma delas era verdade’ é um exercício de montagem, recorte, reagrupamento e aproximação das imagens pintadas, de maneira que, a partir do tensionamento destas relações combinatórias espaciais, possa surgir, senão novos nexos narrativos, então um tipo de dúvida, uma desconfiança da imagem.”
Durante a exposição será distribuído para os visitantes um texto inédito de Theo Storchi, desenvolvido a partir do mito de Ícaro sob uma abordagem contaminada por problemáticas contemporâneas e que funciona não como um instrumento de elucidação ou análise das pinturas, mas sim como mais uma imagem de cunho ficcional em contraponto à artista.


Nascida em Porto Alegre em 1990, Raquel Magalhães atualmente vive e trabalha em São Paulo. Bacharel pelo Instituto de Artes da UFRGS, é mestranda na Escola de Comunicações e Artes da USP. Em 2012 participou da exposição Novíssima Geração: Desenho e Pintura, no Museu do Trabalho. No ano seguinte realizou as exposições: Monocromos, no Espaço Ado Malagoli (Instituto de Artes), e Pintura, juntamente com Marilice Corona, no Ateliê Subterrânea. Em 2015, foi premiada pelo ARTELONDRINA 3. Também em Londrina, em 2015 realizou a exposição Intervalos. Já em 2016 participou do projeto RS Contemporâneo do Santander Cultural, com a exposição Asfixiando um Búfalo. Finalmente, em 2016 foi contemplada como Destaque em Pintura pelo X Prêmio Açorianos de Artes Plásticas. 

 Nenhuma delas era verdade, de Raquel Magalhães
Abertura dia 23 de Setembro de 2017, sábado às 11h
 
Pinacoteca Aldo Locatelli - Paço dos Açorianos
Praça Montevideo, 10 - Centro Histórico - Porto Alegre
Visitação: até 17 de novembro de 2017| Seg a sex, das 9h até 12h e 13h30 às 18h